quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Ritual para libertar-se de um relacionamento doentio

Ritual – Lembrando que magia ajuda, mas quando a coisa é da nossa mente terapia e os doze passos são tudo.


Para a grande mãe – Senhora da mente e da cabeça dos homens a grande mãe tríplice (pode ser nossa senhora se você for cristão) pode vir a nos auxiliar em nossas mazelas de coração e cabeça.

O que vai precisar:

Uma foto sua ou de quem é co-dependente
Uma vela dourada ou amarela para cabeça
Uma vela verde para o coração
Uma tesoura
Uma bacia com água e sal grosso
Um prato de arroz cozido sem sal, coberto de bel e canela.
Uma vela vermelha
Um decágono

Modo:
Numa noite de terça-feira
Abra seu círculo ou vá para seu altar, ou se não ser a mesa da cozinha serve.
Coloque lá a água, as velas em castiçais, a foto bem no meio e o arroz.

A foto ficará no meio do círculo ou altar, bem dentro do decágono.
A oferenda ficará ais perto de vc ( o arroz)
Invoque a Deusa, seus guardiões e médicos espirituais
Acenda a vela amarela em honra da Grande Mãe e a coloque (com castiçal) sobre a cabeça da foto dizendo – “Com a luz da sabedoria, que a Mãe te liberte do mal que se abate sobre tua cabeça!”
Acenda a vela verde sobre o coração da pessoa e peça cura (se não tiver foto do peito desenhe um).
A vela vermelha acenda para o Deus Marte e peça-lhe que corte os vínculos nocivos que você tem com quaisquer pessoas e peça-lhe que lhe ensine sua independência.
Ofereça o arroz para Grande Mãe e diga-lhe que deseja saber e viver o amor de forma livre, leve e sadia. Dar e receber com tranqüilidade.
Pegue um papel e escreva o nome das pessoas que quer esquecer... e o picote todo dizendo: com esta tesoura mágica corto os vínculos dos dois lados, do teu e do meu, assim nos libertamos, sem dor, um do outro e vivemos a liberdade com amor!.
Coloque os papéis na água com sal e diga para ir tudo para o mar. Depois do ritual despeje a bacia no mar ou na privada
Agradeça e faça uma pequena meditação de luz verde sentindo-se curar.
Repita este ritual quantas vezes achar necessário sempre na lua minguante.

Aguarde na próxima postagem artigo sobre abstinência em transtorno afetivo.

Nenhum comentário: