domingo, 22 de março de 2009

EM DEFESA DO AMOR


SOBRE O AMOR

No caderno Donna Martha Medeiros comenta uma grande verdade...que o amor agora é tema cafona! Pois é...amor é gafe, furo, algo terrível....

Pior... “coisa de mulher”, e convenhamos, não vi este tema no caderno de esportes, ou comentado pelo Osterman.

A conclusão da sábia guru é genial e não podia deixar de ser...ei não to rasgando fita, pois ela realmente dirigiu bem o texto e a lógica....concluiu pelo amor

Hoje tudo o que precisa ser elaborado, planejado, revisto e investido, seja seu dinheiro, um contrato ou um relacionamento, é coisa que dá alergia...Só, mas,...contudo,...entretanto, estamos vivendo, como diria nosso Presidente da República...de “marolinhas”, ou seja, de não querer ver, de superficialidades...e quando a avalanche vem, a coisa toda já foi pra lá de destrutiva....no que tange a sentimentos somos ocos...vivemos de paixonites e de trocar de bundas...Ai! Desculpem-me os delicados...trocar de n a d e g a s...e de desastres...d e s a s t r e s. Os homens se defendem no fato de que é mais tranqüilo ter muitas...pararam no tempo coitados...pois quando suas mulheres tem muitos enlouquecem e partem para pancadaria, as mulheres trocam, trocam, mas em verdade gostariam de casar com o “Raj” da novela ou o príncipe da Cinderela...hummm acho que já escrevi sobre isso...hummmm, ta já escrevi sim, mas o objetivo era outro. O fato é que tudo o que é saturnino, sólido, tranqüilo, bonito e vale a pena, como uma estátua de Michelangelo, não requer só talento e aquele encontro de almas, ok! Requer anos de pratica...suor, treino...Ninguém se torna o melhor em um unico dia, em nada no mundo...nem em relacionamentos...e os que dão certo, os raros, são aqueles que ambos veem a coisa como algo a ser investido, algo a ser aperfeiçoado e conseguem vislumbrar o outro não como algo descartavel e chato, mas como parte da coisa toda, parte do empreendimento. Tente, fazer a Coca-cola dar certo, trocando-a por um produto novo do dia para noite...não dá, ok....teste vários produtos e não estabilize nenhum para ver onde vc vai parar...sentimentos, são coisas a serem observadas e lapidadas em si mesmo e não no outro...temos o hábito de querer mudar o outro...sei disso porque fiz isso...mas os únicos que podem se auto lapidar somos nós e o relacionamento é algo para ser feito a 4 mãos, como uma casa. Onde arquiteto e engenheiro devem agir juntos para que a obra seja sólida e todas as reformas sejam perfeitas. Vc me perguntaria o que ganharia com isso? Tenho ouvindo muito isso do publico masculino (dos pacientes – falando de suas namoradas), mas são os mesmos que estão sentindo-se inseguros e muito solitários). Ouço do feminino também, mas do masculino mais....Porque amar? Porque não viver de adrenalina...porque ter uma vida saudável em ver de se entupir de droga e morrer...Simples!...a ciência explica (matéria da revista Época) pequenas doses de prazer e segurança, e um conhecer profundo sobre o outro permitem que vc faça coisas que só neste patamar poderia fazer. Mas não posso fazer coisas neste relacionamento que num novo relacionamento poderia? – vc poderia argumentar...Será? – argumento eu. Da ida ao motel, a trepada no escritório tudo é possível, mas algumas coisas programáveis, algumas coisas construídas e muitas coisas profundas só poderiam ser feitas por pessoas que se conhecem no mais profundo de seus seres, pessoas que estão juntas por que se admiram como pessoas, profissionais e indivíduos. Uma dica para isso acontecer...pare e olhe...encantamento, enamorar-se é diferente de apaixonar-se ou sentir desejo, é algo melhor e superior, é algo que dura, fica para sempre...é algo que faz com que alguém goste do jeito que o outro dobra o guardanapo, ou ri de forma estridente, ou fala pelos cotovelos, ou chega do futebol contando causos como se viesse de uma batalha campal. É lembrar do cheiro e do gosto. Sabem quando, normalmente as pessoas lembram destas coisas...quando se separam, quando acabou...

Pois é então em vez de ficar fazendo onda de: -ahhh, não me venha falar em amor!...Faça ao contrário.Tente....tente de verdade...e colha os frutos de algo único...algo como o Profeta de Michelangelo, que quando este terminou a obra lhe disse: - Parla, parla! – pois era tão perfeito que só faltava falar.

Você já olhou para um relacionamento como algo que pode ser moldado? Algo que tem forma? O amor tem forma. De vc e seu parceiro (a) a forma que queiserem e aperfeiçoem...sempre...para sempre....e jamais contem os anos, apenas os vivam!

Ao final da vida, beije e diga: EU TE AMO E CONSEGUIMOS!...

Um comentário:

Anônimo disse...

a musica do "reino dos gatos" ai ao lado nao funciona...