domingo, 11 de maio de 2008

Como se sente um sensitivo público? Ou melhor, um juiz, um promotor, um político, um professor com sua sensitividade - não treinada.


Sabem, hoje fico aqui, dentro da minha sala do computador, cercada de sprays vibracionais e cds de anjos e imagens de alta vibração, assim como aroma de lavanda. Estou aqui, protegida e reintegrando minha aura, que após uma semana intensamente urbana e exposta a pessoas de grande padrão de negatividade, chegou às raias do stress e rompimento. Cheguei a sofrer vários pequenos acidentes, além de ter que lidar com os novos adeptos da leia da Atração, que não sabem nada de empatia e sensitividade. Nós sensitivos não atraímos somente o que somos, mas atraímos coisas que não somos em nada, tendo como única afinidade ser humano, e ,as vezes, nem isso. Uma árvore doente pode nos levar a um colapso ou depressão. Inúmeras vezes socorri uma Goiabeira aqui de casa, quando minha mãe intentava cortá-la ou sangrá-a (fazê-la secar até morrer), pois sentia seu desespero e dor, como se fosse comigo, logo vinha a notícia da idéia de derrubar a árvore, eu voltava a bater pé que não queria que a matassem. Talvez você que esta entrando agora neste blog, não tenha noção do que estou falando, e seu contato com a parapsiquismo seja só de livros de auto-ajuda, mas saiba, que somos milhares de sensitivos, e com treino, até o mais tapado ou “trouxa” dos seres pode desenvolvê-lo. Temos nossas vantagens perceptivas e as doenças advindas de se expor ás energias nocivas, sentimentos e emoções conturbadas que são abundantes neste planeta. Pois é, hoje, lembrei do meu pai. Ele já faleceu, e não era um mimo de pessoa, embora um grande causídico e jurisconsulto (estudioso e juiz de direito). Mas se sensitividade, como tem se demonstrado é genético, minha mãe tem, em forma de ler os olhos de quem mente, ou pressentimentos e absorção da angústia alheia (ela é um grande filtro para mim, pois sem ela, parece que pego tudo sozinha...), então meu pai poderia ter, e, analisando alguns fatos, isso passa a ser mais que provável, e explica muito do que ele devia sofrer sem explicação lógica, levando-o a ser uma pessoa difícil em casa. Ele era obeso na infância e adolescência, tinha compulsão alimentar como eu – a sensitividade é um fenômeno muito ligado ao plexo (estomago, mente, e intestino delgado), era carente. Casou virgem e depois degringolou, tendo muiiiitttas mulheres, virou alcoólatra, tinha uma lesão no coração, era intratável, tentou o suicídio várias vezes, fazendo roleta russa até na minha frente, e em casa, necessitava de isolamento. Tinha ouvidos sensíveis, e ouvia a grandes distâncias, podendo ouvir as conversas paralelas no Tribunal, e sabendo de coisas que achavam que lhe passavam despercebidas. Quando se isolava, só ouvia música clássica, num tom quase inaudível e assim ficava numa relativa paz. Sendo visto como um homem linha dura, uma simples música, com letra doce, o fazia chorar, e muitas vezes entrava em profundas depressões sem explicação. Ele dava aulas, era Juiz togado e trabalhava três turnos. Tinha um “6º sentido” para quem estava mentindo nas ações que julgava. Se ele detinha, nem que seja, um pouco de sensitividade, bem, então ele sofria, e sofria muito com a exposição. Ele sempre gostava de ficar no escuro. Tapou todas as janelas da casa. Antes que você diga que é um defeito da depressão, lhe digo que sensitivos tem tendência a fotofobia, e penumbra lhes é um remédio. Mesmo felizes o sol pode estimular demais, como uma música aguda e estridente. Tudo deve estar no caminho do meio, tranqüilo, nem demais, nem de menos. Ele era intolerante demais com todos e suas chatices e burrices...Saber as vezes dói, e causa isolamento. Principalmente para quem é uma pessoa pública e que fica exposta a fenômenos psíquicos em grande quantidade como: quebrante, inveja, depressão, raiva de um aluno reprovado, um advogado que repreendido, uma parte perdedora, uma empresa acusada. Hoje com o avanço dos estudos de florais sabemos o quando isso pode demolir a vida e a saúde de uma pessoa, de tal forma que se produzem essências só para este tipo de pessoa. O que ajuda muito, mas o isolamento em meio natural esporádico, para auto-regeneração e cura é questão de sobrevivência, ok! Toda pessoa sensível, deve, ao menos um vez por semana se isolar de tudo, e ir a um meio natural (nem que seja caminhar numa praça a noite) para restaurar seu campo e estar consigo mesmo, ser só, por um momento você mesmo. Evitando a depressão, a raiva, a intolerância, a confusão mental, falastrice mental e esgotamento físico. Aí vão alguns florais e dicas para você, que lida com público e animosidades alheias.


Florais:

Proteção de exposição excessiva (usado para tomar – 4 gts 4 x ao dia – sempre/ e em spray – 7 gts para 150 ms – borrifar sobre si 3 x ao dia)

K60 – Kainnon
F3 – Kainnon
K10 – Kainnon
Chapéu de Sol – Saint Germain
Allium – Saint Garmain
São Miguel – Saint Germain
Yarrow – FES
Arnica - FES
Golden Yarrow – FES
Guardian – Alasca
Impatiens – Bach
Cherry Plum – Bach
Friged Violet - Bush

4gts de cada em 30 mls – ou 7 gts de cada em 150 mls de spray

ESTE SPRAY TAMBÉM RESTAURA A AURA.



Para limpeza no final do dia:

Tome banho ou de sal grosso ou de alecrim. (colocando em 1 litro de água, e lavando do pescoço para baixo, se estiver muito “carregado” lave também a cabeça).

Para dormir em paz:

Crowea – Bush
White Violet – Alasca
Purification – Alasca
White Chestnut – Bach
Vervain – Bach
Cherry Plum – Bach
Artemysia – Minas
Eucaliotus – Minas
Lavender – FES
Chamomile – FES
Camomila – Florais do Sul
Cidreira – Florais do Sul
Aquamarine – Alasca
Polar Ice – Alasca
Valeriam – Alasca
Friged Violet – Bush

7 gts de cada em 30 mls – tomar 3 gts de hora em hora, a partir da hora que chegar em casa para descansar.



Nos seus momentos de isolamento, apenas se abrace numa árvore ou deite no chão e respire profunda e lentamente, a natureza faz o resto.

LEMBRE-SE DE LER OS LIVROS QUE ESTÃO INDICADOS NO SIDEBAR – OU AQUI NA BARRA LATERAL.

Nenhum comentário: