terça-feira, 26 de maio de 2009

CONEXÕES – RELAÇÕES PARANORMAIS 1




Nos amores quando entre paranormais, bruxos, sensitivos e afins, embora estes termos sejam pejorativos, como amor entre um raça, por exemplo, as coisas realmente não são comuns e decidi comentar.

Imagine isso, dois mutantes, dois Xmen namorando?

Um lê pensamentos e o outro tem premonições, ou um é empata (sente o que o outro sente de bom ou ruim) e o outro tem mão curativa e sedativa. Um vê o futuro e o outro o passado. Bem você diria que estão todos na mesma tribo e que se compreenderiam. Seria uma verdade se não fosse a mania terrível do ser humano de estar no controle. Controlar o outro é um defeito humano, sendo para-normal ou não. Se enquadrar é outro e medo é mais um. Esta tríade de defeitos torna a coisa difícil. As mulheres sensitivas tendem a querer maridos perfeitos, pois não se resignam a compreender que elas sabem dos defeitos deles e aceitá-los como são. Elas ficam querendo sentir a perfeição e sofrem sonhando com o senhor perfeição que nunca vai pensar na celulite dela ou olhar par outra mulher. Já o homem não gosta de ter seus pensamentos vigiados e é realmente mais iludido no que tange a medo de saber da realidade, pois tendem a querer uma mulher “pacata”, que controlem até o que ela pensa para não correr o risco de enfrentar uma igual, o que é ilusão, pois mulheres tem desejos e problemas como homens sendo da luz ou não, afinal são antes de tudo humanas e não goiabas.

Mas e o amor?

Bem quando este acontece e não é ilusão, pois entre pessoas mais sensíveis é comum uma confusão entre o que se viveu entre uma vida passada e o que o outro é hoje...(cuido com isso!) a conexão é óbvio, mais profunda, pois ambos tem acesso a alma um do outro de forma consciente. A dica da bruxa é: para não ter medo, pois esta é a melhor demonstração de desapego que se pode ter. Te amo sabendo quem és, sentindo o que sentes, sem monitorar tua vida e te dando liberdade. O respeito é um exercício constante e o relacionamento é algo que deve ser criado a dois, co-criado como algo divino. Como um projeto para durar milênios e não só uma encarnação. Tudo deve ser feito se tendo a noção das conseqüências sobre o outro e acima de tudo não se deixar levar para uma sensação de prisão, pois esta é muito ilusória e vinda de paixonites fúteis, realmente fúteis. O comodismo destas paixonites é o maior veneno, pois é como conviver com alguém fácil de manipular então você se entrega a uma vida fácil, mas vazia...Então cultivar com calma e profunda entrega uma relação de vibração alta talvez não seja a coisa mais simples do mundo, mas a recompensa é algo único, com um crescimento inigualável. Sendo objetiva: duas pessoas vibrando amor, sabendo o que é isso, vendo isso, deixando fluir e compreendendo suas naturezas. Sublime, não é? Pois é! E é bem possível!

Um ritual para ajudar:

Invoque Afrodite, Angus, Deus, Belenus e Belisma, invoque Erus e Psique, faça no seu círculo. Peça-lhe um amor de Deuses. Um amor de crescimento e evolução na terra e no espíritos, um amor de almas, entre seres divinos, uma amor real e concreto, palpável, duradouro e feliz, uma união regida pela luz. Diga que sua porção divindade, que sua porção que lhe difere chama esta porção no outro, e que seu eu humano chama o humano no outro. Incensos de rosas, cravo e canela. Fitas rosas na volta do circulo. Cristais de quartzo rosa e drusas, água com corante rosa, cino para invocações e fogo no caldeirão. Sinta bem forte e faça num Beltane, ou na lua cheia! Repita o quanto quiser!

bju

2 comentários:

Anônimo disse...

Nice brief and this enter helped me alot in my college assignement. Gratefulness you as your information.

Anônimo disse...

Well I to but I think the brief should secure more info then it has.